12.11.09

no final do jantar, levantada a mesa e arrumada a cozinha, Antero pede à mulher e à filha que se sentem no sofá pois quer mostrar-lhes uma coisa. tal pedido surpreende-as, mas obedecem com um sorriso, pensando o que será? depois de as ver sentadas, com um ar feliz, diz fechem ambas os olhos e só abram quando eu disser. ouçam o que ouvirem! estranham tal pedido e sua formulação e respondem qual jograis, sim senhor! ouvem Antero sair da sala e regressar. ouvem barulho de papeis e caixas, riem e falam uma com a outra, conjecturando, mas cumprem o prometido. finalmente a voz de Antero podem olhar! Maria Rita olha o manequim de costura da mãe, vestido com um belíssimo vestido como nunca vira lá em casa e murmura, que lindo pai! pensa ser para a mãe pelo que olha para esta que nada dissera ainda. vê-a, sentada o corpo todo inclinado para a frente, a boca aberta, os olhos fixos no manequim e no vestido, lágrimas a escorrerem mansas e silenciosas em seu rosto. abraça-a. olha o pai e vê-o, o rosto tenso, então Mariana, é o vestido que vimos na montra e que adoraste mas não compramos por achares caro demais. minha querida, para ti nada é demais e quero que estejas radiosa e segura de ti. vais ser a mulher mais bonita no jantar de amanhã. Mariana, já aos soluços levanta-se a abraça-se ao marido. obrigada Antero, obrigada. não sabia que me amavas tanto. beijam-se e por fim a alegria retoma o seu lugar na casa. Mariana corre ao quarto, com o manequim a reboque, e reaparece vestida com o lindo e desejado vestido. é um vestido de marca, de boutique como nunca teve e assenta-lhe como se feito para ela.

ao lado Josefa resolve pensar na toilette para o dia seguinte, observa unhas e cabelo e decide ir ao salão dar um jeito em tudo, a meio da tarde antes do jantar. vai até ao guarda-vestidos e põe-se a procurar nas roupas o que melhor será. chega à tristíssima conclusão de que se fechou, deixou de viver e só tem comprado roupas para uso nos chineses. não vê nada que a possa valorizar e ficar bem ao pé de Amélia sempre muito cuidada e bem vestida. fica nervosa mas decide que no dia seguinte vai tratar de comprar roupas e sapatos, não só a ida ao cabeleireiro. o melhor é ir dormir para acordar cedo. tudo se vai resolver. quer causar boa impressão ao tal Joaquim. não só a ele, pensa! a mim também. e com este pensamento se deita.
sinto-me:
ilustrado por Conceição às 15:25

Olá Conceição,

Adorei o texto no geral, mais há uma parte em particular que me prendeu atenção, simplesmente adorei, " sentada o corpo todo inclinado para a frente, a boca aberta, os olhos
fixos no manequim e no vestido, lágrimas a escorrerem mansas e
silenciosas em seu rosto."

Fico á espera da continuação...

Beijos!
Gleidston a 13 de Novembro de 2009 às 02:34

texto a partir da imagem...
as autoras
arquivos
2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

21

28

30


RSS
eXTReMe Tracker