10.11.09

no piso de cima Zeca dormiu mal. quase não dormiu. passou pelas brasas. dormitou entre uma alegria e uma profunda apreensão. alegria pelo bem-estar que sente junto de Maria Rita, pelo inusitado beijo que lhe deu e que ela retribuiu. pelo prazer sentido. mas onde encaixar Lúcia neste esquema? andavam há mais de três anos. nunca falaram em namoro, mas só andavam um com o outro. uma fidelidade de namoro afinal e sabia que com Maria Rita era caso de compromisso ou nada. a amizade entre ambos agora comprometida pelo seu impensado gesto.

no andar debaixo Mariana sentia-se serena como há muito não lembrava. sentira-se assim na gravidez da filha. plena, realizada, segura e confiante. mas a vida cria instabilidades. criar uma filha é um desafio. apesar de Maria Rita ter sido o que se pode dizer uma boa filha todo o crescimento desafia os pais e Mariana ressentiu-se. os gestos carinhosos do marido, naquela manhã, a ternura que lhe viu no olhar e a força que nele sentiu pacificaram-na e passou a manhã a pensar nele e em tudo o que até aí viveram. que sentimento era aquele, afinal?
sinto-me:
ilustrado por Conceição às 15:37

texto a partir da imagem...
as autoras
arquivos
2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

21

28

30


RSS
eXTReMe Tracker