20.11.09

Clotilde regressou a casa como se um nevoeiro a abraçasse. cumprimentou a mãe sem ânimo e seguiu para a cozinha para lhe aquecer um copo de leite morno. em muitos aspectos era como cuidar de uma criança. em casa de Amélia todos tinham sido gentis mas ninguém lhe dera realmente muita atenção e Clotilde terminava a noite vestida de tristezas. a mãe estava demasiado dependente para notar os estados de espírito da filha. um pouco desse nevoeiro também entrou na casa de Ricardo. ver Maria Rita tão alegre com outro homem deixara-o sonhador. como seria a sua vida se tivesse tido a coragem de se declarar na adolescência? no entanto, o sonho desvaneceu ao pensar em Rosário. eram felizes à sua maneira. e Maria Rita era uma boa amiga, sempre disponível quando alguma das crianças adoecia. tinha as suas vantagens haver uma enfermeira no prédio. no 3ºE Zeca flutuava pela casa, encantado. nunca pensara encontrar alguém que o deixasse tão preenchido. tinha a certeza que Lúcia o entenderia, há alguns meses que a relação vinha perdendo vigor. em três anos de companheirismo nenhum dos dois sentira necessidade de dar o passo para o namoro. eram apenas um hábito na vida um do outro. o rés-do-chão do prédio está em obras há alguns meses. só Ricardo (que é o senhorio) e Zeca (que é o arquitecto) sabem que vai abrir aí uma escola de Yoga. em breve o prédio terá uma nova dinâmica.

ilustrado por Ana às 11:26

texto a partir da imagem...
as autoras
arquivos
2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

21

28

30


RSS
eXTReMe Tracker